Tuesday, 8 May 2007

The Normal, The Diferent and The Freak


"Todos iguais, todos diferentes." todos nós já ouvimos, lê-mos e até escrevemos.
Pois bem cada pessoa é diferente, especial, but guess what you are not that special.
A sociedade elegeu estatutos, e normas morais, e que apesar de diferirem de cultura para cultura, se formos ver as suas origens, são as mesmas. A sociedade fez regras, definiu padrões, para o que é considerado normal, moral, correcto.
A sociedade olha de lado tudo o que é diferente, tudo o que foge aos seus padrões. Os considerados doentes psiquiátricos, que não se integram com a sociedade, pois o seu comportamento é anormal ao da restante sociedade.
Será que são eles que estão errados ou nós?
As pessoas reprimem muitas coisas, com medo que a sociedade os julgue. Coisas como gostar de ler bandas desenha, brincar com legos, ver desenhos animados. Muitas pessoas dizem logo isso são coisas de criança. E eu pergunto porquê? Quem inventa os brinquedos são adultos, quem desenha e escreve a historia de uma BD são adultos, quem faz jogos são adultos, porque é que a sociedade critica os adultos que gostam de fazer coisas consideradas de crianças?

O que é que isto tem a ver com o titulo do post, o que está escrito acima, é uma pequena definição do que a sociedade considera de diferente.
Depois temos os "freaks", aqueles que não só são diferentes não só são criticados, mas também gozados. E alguns mais tarde glorificados e aplaudidos como génios(alguns). Galileu, um dos muitos que foram acusados de serem malucos, doidos, mas alguma vez a Terra é que girava a volta do sol, qualquer pessoa vê que é o sol que gira a volta da Terra. (Digamos que a igreja não ajudou muito, mas isso fica para outro dia.)Hoje é nos ensinado que a Terra gira a volta do sol, e que se não fosse por Galileu era o contrário, vou um pouco mais longe e refiro Newton, pois se não fosse por ele nós flutuávamos, pois não teríamos conhecimento da gravidade.

Eu sou uma pessoa diferente, que por muitas razões gosto de permanecer invisível, entre a sociedade. Mas gostava de ascender a freak, de ter uma mestria um conhecimento, habilidade que mais ninguém tivesse. gostava de ser menos banal, embora permanecesse invisível, gostava de saber que se fosse preciso podia ajudar o mundo.

Eu tenho ideias,pensamentos, que não divulgo porque a sociedade me vai criticar, e de invisível, passo a brilhante fluorescente, e maluco...

5 comments:

Cara_de_Lua said...

Gostei da ideia do flurescente ^_-

Acho que não precisamos de nos esconder assim tanto, basta só circular pela net para ver nos blogs/livejournals os "diferentes" e "freaks" a mostrar as suas coisas.

Acho que não somos assim tão postos de lados, quer dizer, somos sim, e gozados como disses-te, mas acabas por encontrar quem te aceita, mais cedo ou mais tarde.

E em última instância não há nada como estar sozinho

Pedro said...

A Internet realmente tem tudo, mas lá está na net. Se fores falar com as pessoas cara a cara, não é bem assim, como eu acho que já disse num post mais atrás, para mim é incrivelmente difícil encontrar pessoas com os mesmos interesses dos meus. Muitas pessoas que conheço se calhar ate gostam do q gosto, mas com o medo da sociedade não o demonstram, e dai encontrarmos pessoas na net, com um personalidade e outra na vida real...

Cara_de_Lua said...

Eu ainda me lembro de ter vergonha de dizer que gostava de Xutos e Pontapés! lol Foi preciso uma amiga minha ser uma grande maluca também por XP para eu também dizer que também gostava.

Isso era uma coisa simples, mas desde aí não tenho problemas em dizer que gosto. Posso ficar mal vista! lol Mas vale a pena marcar a diferença ^_-

Anonymous said...

Não sei de k projecto é que quem comentou se referia mas uma coisa te digo, está muito fixe. Tb penso assim como tu, aliás, há muita coisa k me faz confusão na sociedade. Nunca fui te dizer "é absurda certa ideia" gosto de ponderar as situações e ver o outro lado. Knd me disseste p vir ao site aborrecia-me ler, sendo sincera m li e gostei. N kerias k dissesse apenas "continua". N digo apenas isso mas sou obrigada a dizer "continua" e acredita k é mesmo assim, akeles mais humilhados são, por vezes, os mais temidos. Vanessa

Rasga said...

"Eu tenho ideias,pensamentos, que não divulgo porque a sociedade me vai criticar, e de invisível, passo a brilhante fluorescente, e maluco..."

Claro que tens, tens tu e tem toda a gente, mas ai daquele que as torna publicas... não te atrevas... a não ser que também queiras ser crucificado!